20 de março de 2017

7ª lição Como conquistar um grande amor - Entrega

7ª lição - Como conquistar um grande amor - entregaAo buscar conquistar um grande amor você já pode ter demonstrado iniciativa e criatividade, mas é preciso entregar o que planejou. A capacidade de planejar e realizar faz a pessoa construir algo sólido para a sua vida, e passa a ser reconhecida como alguém capaz, e isso motiva a fazer mais. Por fim, isto gera orgulho no outro, por estar com alguém que pode contar e confiar sua vida. Importante entender o termo “entrega” nos pequenos e grandes empreendimentos, isto significa a pessoa cumprir o que prometeu, bem como, diante das dificuldades, ser alguém com quem se possa contar. É fazer o que foi solicitado, como por exemplo comprar algo no supermercado, planejar e organizar uma viagem, ou mesmo uma tarefa maior como uma aquisição de algo caro. Falo isso porque percebo as pessoas planejando, mas por não terem persistência e possuírem dificuldade de manter o foco no que realizam, consequentemente não terminam o que iniciam e, portanto, não entregam. Essa atitude no decorrer da relação é prejudicial, pois levanta expectativa de que o casal vai fazer determinada atividade, ou adquirir algo, e isto não ocorre. E o acúmulo de decepções faz perder a admiração.
Numa relação de longo prazo, apresentar a característica de entregar o que promete faz a relação ficar leve, pois se demonstra efetividade e se aponta a possibilidade de dividir as tarefas e responsabilidades cotidianas. Essa característica é válida tanto na relação a dois, quanto na relação profissional, visto que as atividades do trabalho refletem tanto na organização da casa, como na postura pessoal. É muito gostoso organizar uma festa, um passeio, ou mesmo uma tarefa mais complexa com alguém que você sabe que pode contar e não vai lhe deixar na mão. Atendendo casais, percebo que muitos relacionamentos estão alicerçados apenas em um deles. O outro até dá ideias, mas a pessoa que é mais efetiva já toma como mais uma tarefa que irá realizar, e se isso for um acúmulo, pode se transformar num fardo.
Procure verificar como está sua relação: as entregas estão divididas ou pertencem mais a um? Caso seja você que está fazendo a maior parte das entregas e gostaria da participação do outro, tome alguns cuidados antes de conversar. Primeiro perceba por que o outro não está construindo essas entregas, se é porque não quer fazer ou já está tão sobrecarregado por atividades do dia-a-dia da família que não é possível fazer mais nada. Não cobre quando não cabe. Mas se identificar que cabe sim ao outro também construir e entregar atividades para a relação, converse e procure ajudar em vez de simplesmente cobrar. Lembre-se que é a pessoa a qual você escolheu para dividir sua vida que você irá cobrar. Mas caso seja você que está entregando menos, não espere a outra pessoa cobrar, tome a iniciativa de conversar e reconhecer a situação e comece a fazer o que é necessário. Caso não saiba como iniciar, peça ajuda, porém é fundamental cumprir o que prometer.
Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449


A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia

Canal no Youtube: Flávio Melo Ribeiro

17 de março de 2017

6ª lição - Como conquistar um grande amor - Planejamento

6ª lição - Como conquistar um grande amor - Planejamento
Conquistar um grande amor é fazê-lo diariamente e, quando possível, fazer algo grande para demarcar, comemorar, festejar esse amor; pode ser uma viagem, uma festa, algo que seja significativo ao casal. Porém é importante que isso não seja maior do que a relação e acabe afetando negativamente. Mais importante que algo grande são as inúmeras pequenas ações de carinho e atenção, que possam ser feitas diariamente. No entanto, realizar algo grande pode ser dispendioso, difícil e talvez não esteja nas suas atuais condições; por isso é importante planejar. E isso não significa sacrificar o prazer de estar com outro, nem privar determinados gastos financeiros para viver pequenos momentos prazerosos.
Entretanto, se você tem vontade de demarcar seu amor com algo grande, mas ainda não está em condições para isso, inicie por pequenos atos. Em primeiro lugar, entenda que comemorar é algo muito importante, pois ajuda a pessoa a sentir orgulho das suas conquistas. O orgulho gera segurança, e é um motivador para novas conquistas, além de transmitir brilho no que se faz. Só tome cuidado para não ultrapassar o equilíbrio, pois o excesso de orgulho faz afastar as pessoas. E comemorar não é sinônimo de despesas. Comemore de forma barata, mas não simples. Se você mora no litoral, convide seu amor para ir à praia num final de tarde, leve uma bebida numa térmica, pode ser um espumante, uma cerveja, ou mesmo um suco. Compre algo que esteja dentro das suas condições financeiras e demarque que vocês estão ali para comemorar determinada conquista. Você reside no interior, então faça um piquenique no campo, organize algo romântico dentro das suas condições, mas comemore. Com o passar do tempo vá organizando melhor esses pequenos eventos. Pode ser uma comemoração de algo individual, ou datas importantes do relacionamento. Mas não deixe de fazer.
E para algo grande, planeje com antecedência. Pode ser uma viagem para o exterior, por exemplo. Vai implicar reserva financeira, conciliar as férias dos dois, organizar previamente como vão ficar suas atividades na sua ausência etc. E todo esse planejamento pode levar mais de ano. Mas não deixe de fazer, pois a vida passa rápido, e se não houver organização, passam os anos e nada se faz.  Viva e comemore seu amor! Isto é algo que vale a pena!
Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449


A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia

Canal no Youtube: Flávio Melo Ribeiro

15 de março de 2017

5º lição Como conquistar um grande amor - Vontade

5º lição Como conquistar um grande amor - vontade - Flávio Melo RibeiroAqui está mais um artigo da série “COMO CONQUISTAR UM GRANDE AMOR”. Hoje escreverei sobre vontade, garra, tesão de realizar as atividades, tanto sozinho quanto em casal. Anteriormente tratei do compromisso, ética, iniciativa e criatividade. Todos pontos importantes para conquistar e manter um bom relacionamento. Porém aqui vou um pouco mais a fundo. Pois percebo que há pessoas que, por serem estudadas e/ou terem um maior conhecimento da vida, sabem da importância de tomar iniciativa, mas é comum fazerem sem cuidado e sem o prazer de estar realizando. E essa falta de tesão é sentido pelo outro. Parece que está fazendo como se fosse um favor, e me refiro a qualquer coisa, desde afazeres da casa, um passeio, preparar uma comida ou mesmo ao fazer sexo. O que falta: vontade. Vontade de construir, de viver o prazer de concluir e de entregar. Falta orgulho de si, das conquistas, de se dar o direito de ter prazer.
Essa falta de vontade não está ligada nem à condição financeira, nem às dificuldades da vida. É claro que as condições em que a pessoa se encontra influenciam, podem entristecer, desanimar, cansar. Mas não estou falando de situações circunstanciais. Me refiro ao padrão de não ter tesão, garra. Aqui também não entra a depressão, que é um problema que precisa ser abordado num outro momento. Esse texto aborda as pessoas que se preocupam em serem comprometidas, éticas, criativas no namoro, mas não cativam. São certinhas, mas não conquistam; porém olham ao redor e veem outras pessoas conquistando e arrebatando amores, mesmo sem o cuidado que elas têm. Ficam inconformadas com essa constatação, mas no fundo sabem o que lhe falta: brilho! Aquele algo a mais que emana através da empolgação, da vontade. Por que não tem esse quê a mais?

Podem ter vários motivos, mas vou destacar um que vejo importante. Muitas pessoas nessa condição foram educadas para não viverem o orgulho. Como se sentir orgulho fosse algo ruim, que não deveriam externalizar. Porém é o orgulho que traz segurança psicológica à pessoa e ela se reconhece como capaz de realizar. Relembre sua vida! Busque vivências que você se orgulhe, traga esse sentimento para o seu relacionamento e passe a agir com vontade, com tesão. Seja feliz. Isso é fácil de fazer sozinho? Infelizmente não! Se não conseguir, procure ajuda de um psicólogo.

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449

A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia

Canal no Youtube: Flávio Melo Ribeiro

1 de março de 2017

4ª lição como conquistar um grande amor – Criatividade

Flávio Melo Ribeiro
Nessa sequência de artigos de como conquistar um grande amor, já abordei a necessidade de haver comprometimento, ser ético, ter iniciativa, e hoje vou abordar a importância de ser criativo no amor. No início de um namoro é fácil ser criativo, pois o casal está se conhecendo e a forma como se apresenta já é algo novo; porém quando se trata de um relacionamento de longo prazo, espera-se que a pessoa com quem se está relacionando evolua, aprenda novas coisas e surpreenda. Isso não significa fazer coisas grandiosas o tempo todo, mas não repetir as mesmas brincadeiras e piadas de vinte anos atrás. Até porque ninguém mais aguenta, apenas quem conta a piada não se dá conta. O mesmo vale para o sexo, lazer, passeios, restaurantes etc.
Nada mais enfadonho que fazer as mesmas coisas sempre e da mesma forma, talvez quem é novo ou tenha apenas experiências de curto prazo não entenda. Porém basta fazer uma correlação com a escola, imagine que você foi reprovado na sexta série do ensino fundamental, e foi obrigado a repeti-la até hoje. Você já sabe o que vai ocorrer, a sequência das matérias, as exigências e brincadeiras dos professores. Isto porque nessa série havia diversos professores, mas imagine que é só um. Qual o ânimo de ir para aula? Por mais que goste das matérias, chega uma hora que quer algo diferente, novo. Uns podem até pensar: a saída é ir trocando de parceiro; a resposta é: não há necessidade, mas é importante as pessoas buscarem novos interesses, conhecerem novos lugares, buscarem novas atividades, bem como estudar e se aprofundar em algo que lhes interessa.
Um facilitador para desenvolver a criatividade enquanto casal é conversar bastante a respeito do que gostariam de fazer e nunca fizeram. Identificar quais os projetos de ambos, perceber o que é bom e interessa aos dois. Mas também desenvolver atividades sozinhos, para ter o que conversar de novidade um com o outro. Também é válido fazer as mesmas atividades em ambientes que não conheçam, por exemplo, gostam de ir à praia juntos, busquem conhecer praias que nunca foram. No entanto, é possível o casal escolher algumas atividades para fazer da mesma forma até o fim da vida, pois algumas coisas são boas, continuarão boas e bom mesmo é fazer dessa forma sempre. Mas isto é válido para algumas atividades, no restante evolua. Assista ao vídeo com esse mesmo título no canal de Youtube para buscar dicas e sugestões de como melhorar a sexualidade, lazer e atividades individuais. Acesse o canal do YouTube Flávio Melo Ribeiro.
Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449


A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 99921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia

YouTube: Flávio Melo Ribeiro

21 de fevereiro de 2017

Como conquistar um grande amor – Lição 3 - Iniciativa

 Como conquistar um grande amor – lição 3 - Iniciativa
Nos artigos dessa série - COMO CONQUISTAR UM GRANDE AMOR - já vimos a importância do comprometimento e da ética. Hoje será abordada a importância da iniciativa. No caso de um relacionamento amoroso é fundamental que haja muita conversa, que se conheça a outra pessoa, para que as iniciativas sejam benéficas e bem aceitas. A iniciativa pode estar presente na organização de um lazer, de uma tarefa da casa, enfrentamento de um problema, busca pela sexualidade, de afeto e de cuidar de si próprio, desde que reflita positivamente nos dois.

13 de fevereiro de 2017

Como conquistar um grande amor – Lição 2 - Ética

 Como conquistar um grande amor - Lição 1
Como psicólogo, sou frequentemente questionado sobre como é possível conquistar um grande amor. Diante disso, organizei nove artigos que denominei tópicos para conquistar um grande amor. O primeiro tópico foi o comprometimento, agora apresento o segundo: Seja ético! Quer dizer, no amor, faça o certo e não o que lhe é mais cômodo.

Esse questionamento de como conquistar um grande amor é comum em função da dificuldade de achar pessoas comprometidas com a relação amorosa. Nas últimas décadas, convivemos numa sociedade bastante egocêntrica, narcisista e, por vezes, mimada. Muitos desses fenômenos são desdobramentos do que foi pregado pelos educadores e psicólogos da década de sessenta e setenta; que na educação dos filhos, os pais deveriam evitar o “não” para a criança, pois a frustração da criança comprometeria seu desenvolvimento, sua criatividade etc. Por um lado tinham razão, pois nessa época as relações sociais eram bastante castradoras; mas por outro lado, quando levada ao extremo, forma adultos sem limites e com dificuldade de uma autocrítica. Tanto que hoje em dia é frequente encontrar pessoas com dificuldade de lidar com a recusa do outro, e para se preservar de viver esta possível frustração, optam pelo egocentrismo, levando em consideração apenas a si próprio, e o outro só quando lhe convém. Consequentemente, trilham um caminho de solidão. Essa escolha, na grande maioria das vezes, não está clara, pois o que escolhem é viver o prazer imediato em detrimento de construir um futuro. Dessa forma, não medem a consequência, a médio prazo, das suas ações. O problema da escolha pelo prazer, quando de forma continuada, tende a não levar o outro em consideração; no decorrer dos anos, acumulam-se pessoas ressentidas e com visão negativa ao seu redor. Por isso a solidão.

Mas onde entra a ética nesse contexto? Quando a pessoa não está comprometida na relação, a traição aparece como possibilidade. Mas o que é traição num relacionamento amoroso? Trair amorosamente é quebrar o acordo implicitamente estabelecido sem contrato, mas vivido pelos dois como algo que os une. O maior problema que vejo é o quanto tentam distorcer o que não é possível, que é a ética. Não há meia ética, nem mais ou menos ético. Vejo casamentos que, no discurso e para tirar fotografia com a família, parecem sólidos; mas no cotidiano vivem relacionamentos paralelos configurando a traição e, portanto, esse relacionamento está sob uma base de mentiras e se configura como frágil. Se há dúvida sobre o que estou afirmando, é só fazer a experiência de falar abertamente ao outro que já saiu e/ou sai com outras pessoas, para verificar a solidez do relacionamento. Pode até não se desfazer, mas provavelmente não será mais como antes.

Porém ter um comportamento ético no amor não é apenas evitar a traição, mas fazer o que é certo. Se você tem dúvida do que é o certo, pense como gostaria que o outro agisse contigo.

Pedir desculpas ajuda, mas o que resolve é refletir antes de agir. Se acha trabalhoso esse cuidado, talvez não tenha experimentado a dificuldade que é tentar recuperar um sentimento de amor, que o outro tinha por você e perdeu por decepção; ou mesmo querer que os comportamentos de carinho do outro voltassem a ser como eram antes. Nem sempre é possível a recuperação de um sentimento, portanto não desperdice uma relação quando ela está boa. Tome cuidado, pois é quando a relação está boa, que você vai estar bem, vai transparecer felicidade e ficar mais atraente aos outros e, geralmente são nesses momentos, que um terceiro se insinua. A decisão é sua de retribuir essa investida, mas uma vez feita, as consequências não serão mais escolhas suas. Faça o que é certo e não o que é cômodo.  No link do vídeo que tem o mesmo título desse artigo, estarei dando exemplos do que é fazer o certo numa relação amorosa.

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449


A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia
Canal no Youtube: Flávio Melo Ribeiro

8 de fevereiro de 2017

Como conquistar um grande amor – Lição 1 – Comprometimento

 Como conquistar um grande amor - Comprometimento
Criei esta série de artigos e vídeos para trabalhar a conquista e manutenção do amor numa relação de longo prazo. Falarei das iniciativas a serem tomadas durante o relacionamento, visando perdurar acesa a chama da paixão, e cuidados para manter os comportamentos de conquistas do início do namoro por toda a vida. Começarei pela base do relacionamento, que é o comprometimento. Quando novo, aprendi a diferença de envolvimento e comprometimento, por meio de uma receita de omelete de bacon. Os ingredientes são fatias de bacon, que uma vez colocadas na frigideira, soltarão o óleo para fritar os ovos. E, para termos o bacon e os ovos, precisamos da galinha e do porco. Diz-se que a galinha está envolvida no processo da confecção do omelete, pois ela cedeu os ovos, caso não fique bom, ela pode ceder mais ovos. Porém o porco está comprometido, pois ele deu sua vida para ceder o bacon. No amor a mesma coisa, se você investe numa pessoa apenas porque ela é legal, uma boa companhia, e não há amor, esse relacionamento dura, mas ele será morno, e as malas sempre estarão prontas para um dos dois ir embora quando lhe convier. No entanto, para conquistar e manter um amor é necessário se comprometer, saber que irá perder se der errado, mas ganhará muito ao perceber que ama e é amado, e pode contar com o outro na realização dos seus projetos de vida. Mas o que é comprometimento na relação amorosa?

23 de janeiro de 2017

Como deixar de ser solitário nas férias

Verão, férias, praia, diversão e solidão. Opa, solidão? Isso mesmo, tem pessoas que tem um bom emprego, tem férias, e mesmo assim nesse período de descanso não se divertem por estarem, ou sentirem solidão. A pessoa solitária vive um sentimento de desamparo, angústia, bem como pensamentos contraditórios. Ao mesmo tempo que deseja uma companhia, tem vergonha de olhar os demais e também não quer ser visto ou reconhecido como um solitário, portanto evita encontrar as pessoas. Nada mais contraditório que isso: deseja a presença do outro e promove a solidão.

16 de janeiro de 2017

A busca pelo corpo perfeito.

  A busca pelo corpo perfeito
Você quer ter um corpo magro, com músculos tonificados, boa resistência física, elasticidade muscular, um corpo “perfeito”, bonito e sentir orgulho de ser assim? Não tem nenhum problema. Se é isso que você quer ser, se dedique a isso! Mas tome o cuidado de não perder o equilíbrio da vida. O corpo não pode ser o único referencial seu em relação aos outros, é fundamental que não te vejam apenas como um corpo bonito, mas alguém com vários predicados e também com um corpo sarado. Atendi pacientes que buscaram um corpo malhado para ser aceito e desejado pelo outro, mas perderam o equilíbrio da vida e colocaram a dieta e o treino no centro das suas relações: quando saíam não comiam para não engordar, queriam voltar cedo para correr no outro dia, não conseguiam conversar que não fosse em relação aos treinos.

10 de janeiro de 2017

Projeto verão: trabalhando a autoestima

 Projeto Verão
O verão é a estação do ano que mais favorece o corpo ficar a mostra aos outros e quando o mesmo não está dentro do esperado a si próprio e a imagem que “acha” que os outros esperavam para lhe aceitar ou desejar, surge a vergonha (não gostaria que o outro me visse dessa forma) e a ansiedade (de querer resolver seus problemas instantaneamente). Este fenômeno ocorre quando a pessoa elege o corpo como referencial da autoestima. Mas como fazer diferente? Primeiramente, vamos sair do pressuposto que acima do pescoço tem uma cabeça que reflete, percebe o mundo, sonha e possibilita a ela e o resto do corpo se emocionar.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...