29 de maio de 2015

Pessoa Interessante

Pessoa Interessante Psicólogo Flávio de MeloUma característica interessante do ser humano é apresentar desejos, tanto de ser determinada pessoa, de fazer algo ou de ter algumas coisas. Esse desejos servem de parâmetros para definirmos a qualidade do que fazemos, se estamos abaixo ou acima do que esperamos de nós mesmos. Através desses desejos e das nossas ações montamos o que se denomina horizonte de possibilidades. É nesse espaço que nos movemos cotidianamente. E algo importante acontece quando conseguimos alcançar o que desejamos: nos sentimos realizados, satisfeitos. Dessa forma procuramos nos aproximar de pessoas e objetos que nos ajudam a alcançar esses desejos e tendemos a nos afastar de quem nos atrapalha nesse processo.

25 de maio de 2015

Sintomas da Depressão

Sintomas da Depressão Psicólogo Flávio de MeloDe acordo com o Código Internacional de Doença CID10, a depressão apresenta os seguintes sintomas: rebaixamento do humor; redução de energia e diminuição da atividade; alteração da capacidade de experimentar o prazer; perda de interesse; diminuição da capacidade de concentração; fadiga acentuada;

22 de maio de 2015

Término e Reconquista

Término e Reconquista Psicólogo Flávio de MeloReconquistar é mais difícil do que iniciar um novo relacionamento amoroso. Atendendo por anos esse tipo de situação, pude identificar dois fatores bem comuns. Um deles é o fato de já se conhecerem e isto gerar expectativas negativas. O mínimo que se faça pode gerar no outro o pensamento: “vai começar tudo de novo”, referindo-se às “coisas ruins” que minaram o relacionamento, criando desânimo e desconfiança no sucesso da reconciliação.

18 de maio de 2015

Falta de Vontade e Depressão

Falta de Vontade e Depressão Psicólogo Flávio de MeloÉ muito comum os meus pacientes depressivos reclamarem da falta de vontade para tudo. E mais comum ainda relatarem o quanto são orientados pelos parentes e amigos a terem vontade para fazer as atividades. Entendo a boa vontade nesses conselhos, mas são totalmente ineficazes. Quem convive com alguém depressivo entende muito bem o que estou dizendo. E por que não dá resultado? Porque o que mais caracteriza a depressão é a falta de futuro! Na depressão profunda o depressivo não vê futuro e, consequentemente, nada na sua vida tem sentido. Portanto, sem futuro, não há vontade.

15 de maio de 2015

Seja feliz

Seja Feliz Psicólogo Flávio Melo RibeiroNuma entrevista, me perguntaram se poderia dar alguma dica para facilitar os relacionamentos amorosos. Respondi: “Procure fazer o outro feliz, pois dessa forma você terá 50% de chance de também ser feliz, visto que é mais fácil estar bem ao lado de alguém feliz”. Por anos acreditei e preguei isso, mas depois descobri que não é possível fazer o outro feliz, é a própria pessoa que precisa ficar bem. Podemos no máximo proporcionar um ambiente agradável, comportamentos adequados e apoio ao outro. Podemos nos colocar como meio de o outro realizar determinados desejos, mas não produzir a emoção no outro, é a própria pessoa que precisa vivê-la.

11 de maio de 2015

Duas perguntas que mudaram uma vida

Duas perguntas que mudaram uma vida Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
Sou Psicólogo e gostaria de relatar uma experiência. Numa sexta-feira próxima ao natal recebo um telefonema de uma mãe aflita por escutar de seu filho depressivo o desejo de tirar sua própria vida. Ele era meu paciente a pouco tempo e eu já estava a par dessa ideação suicida. No final da mesma tarde recebo o meu paciente e os familiares. Solicito que apenas o paciente entre na sala, sabia o quanto os demais queriam entrar para ajudar, mas tinha consciência da importância de ouvir do meu paciente o que estava ocorrendo. Após escutar seu relato e avaliar o risco dele tirar sua vida, sabia que não tinha muito tempo para intervir e alterar essa situação, foi quando lhe fiz duas perguntas que mudaram o rumo dos seus pensamentos. 

4 de maio de 2015

No Jardim das Borboletas

No Jardim das Borboletas Psicólogo Flávio Melo RibeiroNa minha vida profissional é comum me deparar com diversos textos e teoria sobre relacionamento amoroso. Um deles me chamou muito atenção e o trabalhei com muitos pacientes. Eram as duas possibilidades básicas de se caçar borboletas, uma é se armar de uma rede presa a uma haste entrar no bosque e começar a caçar e prender as borboletas. A outra é pegar um terreno, limpar, plantar grama, árvores e arbustos de flores. Cuida-lo com esmero e quando o jardim florescer as borboletas virão por espontaneidade, ficarão livres, mas com desejo de permanecer. Esta segunda forma é a mais adequada e a mais rápida de se buscar um novo relacionamento.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...