25 de setembro de 2015

Perdoe e se liberte

Perdoe e se liberte Psicólogo Flávio de Melo
Desde o início das minhas atividades profissionais, me deparei com pacientes que confundiam o que é perdão. Entendiam que perdoar é esquecer o mal que lhe fizeram e trazer o malfeitor para próximo delas, mesmo sabendo do risco de recorrência. Em primeiro lugar, ninguém se esquece da sua vida, principalmente de fatos importantes que incomodam a ponto de sentirem raiva ou de pensar em perdoar (a não ser por doenças neurológicas). Em segundo lugar, entender o que aconteceu não exige manter as pessoas e ambientes como estavam dispostos antes – muito pelo contrário –, mas aponta necessidade de mudanças e nova configuração na rede de relacionamento.

Perdoar é libertar-se. Essa definição encontra-se escrita há milhares de anos. Perdoar é fazer com que o passado, que não é esquecido, possa ser ressignificado a ponto de não mais incomodar. Cabe perdoar tudo aquilo que nos aconteceu no passado e nos atrapalha ainda hoje. Vamos entender melhor isso.

18 de setembro de 2015

Solucionando a crise motivada pelas redes sociais


Solucionando a crise motivada pelas redes sociais Psicólogo Flávio de MeloNo texto anterior, “Traição on-line”, foram expostos diversos tipos de traições possíveis nas redes sociais, que geram crises no relacionamento amoroso. Mesmo que algumas dessas traições fiquem apenas no âmbito virtual, os atos são suficientes para quebrar o acordo implicitamente estabelecido entre o casal sem contrato, mas vivido como algo que os une. A base que definirá a administração do conflito será o conjunto dos valores de cada um dos envolvidos, principalmente daquele que se sentiu traído. Se for algo inaceitável em sua opinião, o término da relação é inevitável. Mas se achar possível administrar as consequências do ocorrido, o equilíbrio emocional será fundamental para conduzir as negociações.

11 de setembro de 2015

Traição On-line

Traição On-line Psicólogo Flávio de Melo
O mundo digital diversificou e ampliou a traição. Até pouco tempo atrás, trair amorosamente era um dos parceiros se relacionar com um terceiro, sem consentimento. Poderia ser um beijo, uma relação sexual, ou mesmo namorar esse outro. As redes sociais possibilitam muito mais do que isso, encurtam distância e aproximam intimidades. Hoje as pessoas curtem fotos, frases e momentos de amigos, ex-ficantes, ex-namorados e outros ex. Enviam mensagens privadas, mantêm conversas com conhecidos, amigos e com outros interessados, sem seu parceiro saber. Além de conversar, podem enviar fotos insinuantes, fotos íntimas, fazer declarações que geram esperanças de possíveis encontros íntimos. Mas quando descobertos dizem que não foi nada, pois não se encontraram pessoalmente, não trocaram beijos nem tiveram relações sexuais, portanto, não constituíram traição. Mas o que é traição digital?

4 de setembro de 2015

Desenvolvimento do Namoro com Ajuda Digital


Desenvolvimento do Namoro com Ajuda Digital Psicólogo Flávio de MeloApós a fase preliminar de se conhecer por meio das Redes Sociais, como publicado na última semana (Início de Relacionamento na Era das Redes Sociais), inicia-se a fase do namoro propriamente dito, e as comunicações digitais ajudam - e muito. A era digital facilitou a comunicação entre os namorados e disponibilizou uma gama de figuras, frases, símbolos, signos, etc., substituindo em muitos aspectos a comunicação oral e escrita. O tímido se expôs muito mais, enquanto o extrovertido pôde exercer a criatividade e se divertir. Tudo isso facilita o desenvolvimento do namoro. Os namoros se iniciam pelas afinidades, pela atração, ou mesmo por uma paixão. Mas, para que possa se fortalecer e criar o desejo de continuarem a se ver, criando uma atração mútua, precisa ser cultivado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...